Endereço

Rua Pernambuco, 1002 - Sala 601
Savassi | CEP 30130-151
Belo Horizonte, MG
Tel.: 3261 8282 - 3262-4130/0876
sdamg@sdamg.com.br


Clique aqui para acessar a Intranet

Notícias

voltar        

Mercado árabe é prioridade para ramo de doces



São Paulo – Os países árabes estão entre os mercados prioritários para as exportações de doces brasileiros em 2011 e 2012, de acordo com informações da Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Cacau, Amendoim, Balas e Derivados (Abicab).

“Hoje, o mercado árabe é estratégico. As grandes exportações para a África são para os árabes, as exportações ao Oriente Médio estão crescendo, enquanto as para os Estados Unidos e Europa estão diminuindo”, afirma Rafael Ribeiro, gestor de exportação da Abicab.

No ano passado, as exportações brasileiras do setor somaram um total de US$ 303 milhões, dos quais 9% foram para países do Oriente Médio. “De 2009 para 2010, as exportações para a região cresceram 8,4%. A gente espera ter um crescimento de 10% este ano. Esperamos que a crise na região não afete as vendas”, declara Ribeiro, referindo-se aos protestos populares que se disseminaram pelo mundo árabe.

Segundo o gestor de exportação da Abicab, os mercados prioritários para as exportações brasileiras do setor neste e no próximo ano serão Estados Unidos, México, Canadá, Arábia Saudita, Rússia e Argentina. Ele ressalta, contudo, que a inclusão da Arábia Saudita se refere a um trabalho que deverá se estender pelos demais países da região. “Quando falamos em Arábia Saudita, estamos falando em mundo árabe.”

Ribeiro revela que, além da participação anual na Gulfood, maior feira de alimentos do Oriente Médio, que ocorreu em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, a entidade fará ainda um estudo de mercado dos países árabes, para entender melhor os hábitos de consumo, a concorrência e a cadeia de distribuição de doces na região. Entre outras ações de promoção comercial também estão incluídos convites para jornalistas árabes virem ao Brasil e a publicação de anúncios em revistas do Oriente Médio.

Gulfood

Um dos principais indicadores de que o Oriente Médio é um mercado aquecido para os doces brasileiros é o resultado obtido pelas fabricantes que participaram da última edição da Gulfood, que ocorreu entre 27 de fevereiro e 02 de março deste ano.

Em seu estande, a Abicab reuniu as empresas Docile, Dori, Embaré, Florestal, Garoto, Jazam, Rician e Peccin. No evento, as companhias negociaram US$ 1,3 milhão, com perspectivas de negócios adicionais de US$ 8 milhões durante ao ano, gerados pelos 770 contatos feitos na feira. O valor negociado no evento é 116% maior do que o obtido na edição de 2010, de cerca de US$ 650 mil.

“As empresas que estiveram lá já se inscreveram para o ano seguinte. Isso mostra um cenário em que as exportações estão crescendo”, destaca Ribeiro.

No total, a Abicab congrega 103 membros, dos quais 50% são exportadores. Em 2010, o setor de doces movimentou US$ 9 bilhões no Brasil. Os principais importadores dos doces brasileiros são Argentina, Estados unidos, Paraguai, Uruguai e Venezuela.


Fonte: Agência de Notícias Brasil Árabr 23/03/2011
Animatto Webcom