Endereço

Rua Pernambuco, 1002 - Sala 601
Savassi | CEP 30130-151
Belo Horizonte, MG
Tel.: 3261 8282 - 3262-4130/0876
sdamg@sdamg.com.br


Clique aqui para acessar a Intranet

Notícias

voltar        

EUA aumentam cota de importação de açúcar de 2011








O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) anunciou ontem que aumentou a cota de importação de açúcar do país para 1,41 milhão de toneladas no ano fiscal 2011. O volume, em base demerara, foi elevado após o órgão ter redirecionado um volume de 325 mil toneladas que originalmente deveria ser abastecido por produtores locais, mas que agora será importado.


Ontem, na bolsa de Nova York, os contratos futuros do produto com vencimento em julho fecharam a 24,84 centavos de dólar por libra-peso, queda de 4 pontos em relação à sexta-feira.


As importações adicionais dos EUA deverão compensar a perda na produção de cana-de-açúcar do Estado da Flórida em janeiro devido às geadas, informou o USDA em seu primeiro ajuste para a cota neste ano fiscal, que terminará no dia 30 de setembro.


Fabricantes de alimentos afetados pelos altos preços pressionaram o USDA a ampliar as importações, e os produtores estrangeiros também querem ter mais acesso ao mercado americano. O programa dos Estados Unidos é uma tentativa de balancear as importações com o consumo e a oferta doméstica para que os produtores locais recebam um preço mínimo. Pela lei, o USDA tem de esperar até o mês de abril antes de promover ajustes nas cotas de importação.


Traders acreditam que provavelmente o México vai suprir a maior parte desse açúcar, especialmente porque o país espera exportar um recorde de 1,3 milhão de toneladas em 2010/11, devido à forte demanda dos Estados Unidos. Eles também afirmaram que alguns países incluídos no sistema de cota tarifária podem não ter condições de fornecer o açúcar. Entre os países que poderão participar das vendas estão o Brasil e a Austrália.


"Virá de todo o lugar", disse um trader. Aproximadamente, duas dúzias de países incluídos no sistema de cota têm permissão para exportar açúcar para o mercado americano, beneficiando-se de um prêmio sobre os preços globais. Na sexta-feira passada, relatório mensal do USDA mostrou que a relação entre estoques e consumo do mercado de açúcar caiu para 10,4%, estável ante o mês anterior, mas abaixo dos 15% que o USDA considera ser o patamar ideal.


Os Estados Unidos consomem cerca de 9,1 milhões de toneladas de açúcar por ano, e suas importações costumam representar um quarto do volume total.








Fonte: Valor Econômico 12/04/2011
Animatto Webcom