Endereço

Rua Pernambuco, 1002 - Sala 601
Savassi | CEP 30130-151
Belo Horizonte, MG
Tel.: 3261 8282 - 3262-4130/0876
sdamg@sdamg.com.br


Clique aqui para acessar a Intranet

Notícias

voltar        

Minério alavanca receita da balança comercial mineira



O aumento do preço do minério de ferro, tanto no mercado spot quanto nos contratos de longo prazo, alavancou as divisas geradas pelos embarques mineiros da commodity no primeiro trimestre. No período, o volume do insumo siderúrgico exportado pelo Estado ficou estável na casa das 35,130 milhões de toneladas em relação aos mesmos meses do ano passado.

Porém, em valores, as remessas dos três primeiros meses deste ano somaram US$ 3,479 bilhões contra US$ 1,539 bilhão em igual trimestre de 2010, um acréscimo de 126%.

A participação do minério de ferro nos embarques estaduais dos três primeiros meses deste ano ficou em 40,8% da pauta exportadora, mais de 10 pontos percentuais da fatia correspondente às remessas da commodity no mesmo período um ano antes (29,6%). Os dados foram divulgados ontem pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic).

O panorama das exportações de café, segundo item mais importante da pauta estadual, é parecido. Enquanto as remessas do grão para o exterior no primeiro trimestre cresceram menos de 1%, em quantidade, na comparação com o mesmo período de 2010, a movimentação financeira, na mesma base de confronto, somou US$ 1,269 bilhão sobre US$ 816,366 milhões, alta de 55,4%.

O ferro-nióbio completou a lista dos três principais produtos exportados por Minas Gerais entre janeiro e março. Os embarques da liga no período totalizaram 18,457 mil toneladas ante 14,385 mil toneladas em igual trimestre de 2010, um crescimento de 28,3%. Em idêntica comparação, foram US$ 477,698 milhões contra US$ 332,696 milhões, expansão de 43,5%.


Mercados
- A China foi o principal parceiro comercial de Minas nos três primeiros meses deste ano, com fatia de 29,6% dos embarques do período. No intervalo, os chineses compraram US$ 2,521 bilhões em mercadorias mineiras, 137,8% a mais do que em idêntico trimestre de 2010 (US$ 1,060 bilhão).

Em seguida, o Japão deteve participação de 7,7% nas vendas externas do Estado no primeiro trimestre. Com o resultado, os países da Ásia, exceto do Oriente Médio, responderam por praticamente a metade das vendas externas do Estado (46%), nove pontos percentuais a mais do que a participação do bloco econômico no mesmo período um ano antes (36,8%).

O principal exportador estadual dos três primeiros meses de 2011 foi a Vale S/A, com participação de 37,9% nos embarques e remessas da ordem de US$ 3,230 bilhões. Outros importantes exportadores no período foram a Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM), com participação de 6% e a Gerdau Açominas, com fatia de 4,1%.


Importação
- Em termos de importação, a hulha betuminosa continuou como o produto mais importado pelo Estado entre janeiro e março. No trimestre, os desembarques do insumo utilizado como combustível pela indústria siderúrgica somaram 1,363 milhão de toneladas, volume 31,9% maior do que o registrado no mesmo período do ano passado (1,033 milhão de toneladas).

A hulha betuminosa, que na forma sólida é comumente conhecida como coque, demandou US$ 279,748 milhões em compras estaduais nos três primeiros meses deste ano, 96,5% a mais que as compras de Minas Gerais no mesmo período do ano passado (US$ 142,365 milhões). A participação do insumo nas importações mineiras do intervalo foi de 10,6%.

Os automóveis com motor até mil cilindradas, com fatia de 6,2%, foram o segundo item mais importado pelo Estado entre janeiro e março. Os embarques de veículos deste tipo no período somaram US$ 163,112 milhões sobre US$ 119,517 milhões em igual intervalo de 2010, elevação de 36,4%.

As principais origens dos produtos importados pelo Estado no primeiro trimestre foram os Estados Unidos, com participação de 18%, a Argentina, com 15,4%, e a China, com 10,5% do total dos desembarques do período. E, no ranking dos compradores mais importantes, a liderança foi da Fiat Automóveis S/A (Fiasa), com fatia de 13,6% seguida pela Usinas Siderúrgicas de Minas Gerais (Usiminas), com 6,7%, e pela Iveco Latin America, com 6,4%.


Industrializados
- Nos últimos dez anos, as exportações de produtos industrializados de Minas Gerais cresceram vertiginosamente. Em 2001, o Estado exportou, durante todo o exercício, US$ 3,339 bilhões em mercadorias de maior valor agregado, enquanto somente nos três primeiros meses de 2011, os embarques deste tipo de item já alcançaram US$ 3,204 milhões.

De acordo com os dados do Mdic, na comparação com as divisas geradas pelas remessas estaduais de produtos industrializados durante o primeiro trimestre de 2010 (US$ 2,478 bilhões), com as do mesmo período deste ano (US$ US$ 3,204 milhões), foi apurada alta de 29,2%.

As exportações de produtos manufaturados nos três primeiros meses de 2011 foram responsáveis por 37,6% da receita gerada com vendas externas do Estado no período. Por outro lado, as remessas de produtos básicos no primeiro trimestre deste ano (US$ 5,303 bilhões), ainda representam a maior parte das divisas dos embarques (62,2%).



Fonte: Diário do Comércio 13/04/2011
Animatto Webcom