Endereço

Rua Pernambuco, 1002 - Sala 601
Savassi | CEP 30130-151
Belo Horizonte, MG
Tel.: 3261 8282 - 3262-4130/0876
sdamg@sdamg.com.br


Clique aqui para acessar a Intranet

Notícias

voltar        

Exportações de produtos básicos têm crescimento



O superávit da balança comercial de US$ 1,491 bilhão na segunda semana de maio (período com cinco dias úteis, entre 9 e 15) foi resultado de bons números de exportação de manufaturados e básicos, em relação à primeira semana do mês. Na mesma comparação, caíram as remessas de semimanufaturados. As informações são do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic), que divulgou ontem o detalhamento do resultado da balança comercial da semana passada.

No total, as exportações da segunda semana de maio alcançaram US$ 5,766 bilhões, com média diária de US$ 1,153 bilhão. Houve crescimento de 9% em relação à média de US$ 1,058 bilhão da primeira semana do mês.

As remessas de produtos básicos apresentaram média diária de US$ 634,4 milhões, o que representa alta de 19,8% sobre a média de US$ 529,6 milhões da primeira semana do mês. Os destaques, no segmento, foram petróleo, minério de ferro, café em grão, farelo de soja e carne suína.

Entre os manufaturados, a média diária de exportações na segunda semana de maio alcançou US$ 348,1 milhões, em elevação de 2,2% ante a média de US$ 340,6 milhões da primeira semana do mês. Os produtos que mais ajudaram nessa alta foram óleos combustíveis, aviões, laminados planos, veículos de carga, motores e geradores

Nos semimanufaturados, a média diária de exportação ficou em US$ 145,5 milhões na semana passada, queda de 9,5% frente a média de US$ 160,8 milhões da primeira semana. Segundo o Mdic, essa retração ocorreu por causa de açúcar em bruto, celulose, couros e peles, ferroligas e óleo de soja em bruto.

As importações da segunda semana de maio somaram US$ 4,275 bilhões, com média diária de US$ 855 milhões, o que representa queda de 1,2% em relação à média diária de US$ 864,2 milhões da primeira semana de maio. Conforme o Mdic, houve retração nas compras de equipamentos mecânicos, aparelhos eletroeletrônicos, veículos automóveis e partes, plásticos e obras, siderúrgicos e farmacêuticos.


Mês - O resultado das exportações acumulado nas duas primeiras semanas de maio (dez dias úteis) soma US$ 11,056 bilhões. O Mdic destaca que a média diária de US$ 1,105 bilhão do período foi 31,2% superior a média de US$ 843 milhões de maio de 2010. Considerando o critério de médias diárias, as remessas de básicos aumentaram 42,6% (de US$ 408,3 milhões, em maio de 2010, para US$ 582 milhões, nas duas primeiras semanas deste mês) envolvendo principalmente trigo em grão, petróleo, café em grão, minério de ferro, farelo de soja, soja em grão, e carne de frango e suína.

Nos semimanufaturados, o aumento foi de 38% (de US$ 111 milhões, em maio do ano passado, para US$ 153,2 milhões, nas duas primeiras semanas deste ano), com crescimento de semimanufaturados de ferro e aço, ferro fundido, óleo de soja, ouro em forma semimanufaturada, couros e peles, e alumínio em bruto.

Entre os manufaturados, a alta foi de 11,4% (de US$ 309,3 milhões, em maio de 2010, para US$ 344,4 milhões, nas duas primeiras semanas de maio deste ano), com destaque para laminados planos, veículos de carga, polímeros plásticos, partes de motores para veículos, bombas e compressores e autopeças.

A média diária de exportações de US$ 1,105 bilhão das duas primeiras semanas de maio representa aumento de 4,1% em relação à média de US$ 1,061 bilhão apurada em abril deste ano. Segundo o Mdic, nessa comparação houve aumento nas vendas de produtos semimanufaturados em 12,5% e de 7,2% entre os básicos, mas queda de 3,5% nos embarques de manufaturados.

As importações acumuladas nas duas primeiras semanas deste mês somaram US$ 8,596 bilhões. Isso representa uma média diária de US$ 859,6 milhões, ou seja, elevação de 26,6% em relação à média de US$ 678,8 milhões de maio do ano passado.

Os principais aumentos de gastos (na comparação entre as médias diárias das duas primeiras semanas de maio deste ano e de maio do ano passado) envolveram adubos e fertilizantes (112,2%), cereais e produtos de moagem (59,1%), plásticos e obras (42%), combustíveis e lubrificantes (28,2%), borracha e obras (26,8%) e equipamentos mecânicos (24,6%).

O saldo positivo da balança comercial alcança US$ 7,489 bilhões no acumulado do ano, com média diária de US$ 82,3 milhões. Em igual período do ano passado, o superávit foi de US$ 3,634 bilhões, com média diária de US$ 39,9 milhões.


Fonte: Diário do Com;ercio 17/05/2011
Animatto Webcom