Endereço

Rua Pernambuco, 1002 - Sala 601
Savassi | CEP 30130-151
Belo Horizonte, MG
Tel.: 3261 8282 - 3262-4130/0876
sdamg@sdamg.com.br


Clique aqui para acessar a Intranet

Notícias

voltar        

Importações deverão cair



 

 


 














DIVULGAÇÃO / IABR
Desembarques brasileiros de aço tendem a se estabilizar
Desembarques brasileiros de aço tendem a se estabilizar

Apesar de as importações de aço terem aumentado 15% no primeiro trimestre, especialistas do setor siderúrgico apontam para uma redução nos desembarques no médio e longo prazos. As compras externas deverão esbarrar na alta do dólar e nas medidas governamentais.

Para o presidente do Instituto Nacional da Distribuição de Aço (Inda), Carlos Loureiro, os resultados da importação de aço no primeiro trimestre surpreenderam o mercado. Apesar disso, ele explicou que o aumento é reflexo de pedidos feitos no ano passado, quando o dólar estava em patamares menores que os verificados atualmente. Segundo ele, as expectativas do segmento é que seja registrada uma estabilização na entrada de material importado no país.

Apesar disso, no início do segundo semestre, grandes volumes de aço deverão continuar a entrar no país, de acordo com o presidente da Frefer Metalplus, com unidade em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), Christiano da Cunha Freire. "O efeito do aumento do dólar no início deste ano somente será sentido nos próximos meses", afirmou.

Além do dólar, medidas governamentais poderão ajudar a frear os desembarques de aço no Brasil, segundo o executivo. Ontem, a Secretaria de Comércio Exterior (Secex) publicou no "Diário Oficial da União" circular determinando a abertura de investigação para apurar a existência de dumping nas exportações de aço laminado planos a silício provenientes da China e da Coreia do Sul. O pedido foi feito pela Aperam, antiga Acesita, com planta em Timóteo, no Vale do Aço.


Comportamento - Já o analista-chefe da SLW Corretora, Pedro Galdi, afirmou que o volume importado em 2012 dependerá do comportamento do dólar. Segundo ele, este ano ainda será difícil para o setor siderúrgico, que continuará enfrentando a ameaça das importações.

Apesar disso, no próximo ano, conforme ele, a tendência é de redução nos desembarques, caso seja aprovada a lei que unificará a cobrança do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS).

O setor aguarda a aprovação do Projeto de Resolução do Senado nº 72 (72/2010), de autoria do senador Romero Jucá (PMDB-RR), que visa eliminar a denominada "Guerra dos Portos". O projeto determina a unificação da alíquota do ICMS nas operações interestaduais com bens e mercadorias importados do exterior após o seu desembaraço aduaneiro.

De acordo com balanço do Instituto Aço Brasil (IABr), as importações de aço totalizaram 996,2 mil toneladas no acumulado dos três primeiros meses deste ano, contra 886,2 mil toneladas no primeiro trimestre de 2011. A movimentação financeira no período passou de US$ 1 bilhão para US$ 1,201 bilhão, alta de 20,1%.

Apesar disso, as usinas brasileiras produziram 8,694 milhões de toneladas de aço bruto entre janeiro e março, ante 8,488 milhões de toneladas no mesmo intervalo do ano passado. O resultado representa incremento de 2,2%.





Fonte: DIÁRIO DO COMÉRCIO. RAFAEL TOMAZ.
Animatto Webcom