Endereço

Rua Pernambuco, 1002 - Sala 601
Savassi | CEP 30130-151
Belo Horizonte, MG
Tel.: 3261 8282 - 3262-4130/0876
sdamg@sdamg.com.br


Clique aqui para acessar a Intranet

Notícias

voltar        

Confins: privatização não ocorrerá em 2012
















DIVULGAÇÃO
Os terminais de Confins e do Galeão seriam os próximos na lista de concessão
Os terminais de Confins e do Galeão seriam os próximos na lista de concessão

O anúncio de privatização do Aeroporto Internacional Tancredo Neves (AITN), em Confins, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), poderá não ocorrer no segundo semestre deste exercício, conforme informado pela imprensa. De acordo com informações da Secretaria Nacional de Aviação Civil (SAC), o anúncio depende ainda da conclusão de um estudo sobre o espaço aéreo e a infraestrutura aeroportuária brasileiros, que inclui o processo de concessão do terminal.

Segundo a secretaria, a questão depende ainda de a presidente Dilma Rousseff bater o martelo. Isso deverá ocorrer juntamente com a liberação da privatização de Aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro.

Além da outorga de aeroportos nacionais, o estudo prevê medidas de estímulo à aviação regional, como investimentos em terminais do interior e rotas aéreas para esses locais. Conforme a assessoria de imprensa, o plano como um todo está sendo discutido e avaliado no âmbito do governo federal antes de ser finalizado e encaminhado para a aprovação presidencial.

Há cerca de um ano, o governo anunciou que a administração e operação dos aeroportos de Cumbica (Guarulhos), Viracopos (Campinas) e o de Brasília seriam privatizadas integralmente. Na época, o Aeroporto de Confins e o do Galeão foram divulgados como os próximos da lista.

Segundo o modelo de concessão estabelecido, a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) terá até 49% nas futuras Sociedades de Propósito Específico (SPE) a serem criadas para operar os aeroportos. Isso significa que 51% do capital, a maioria, ficará em mãos de empresas privadas.

Em fevereiro foi divulgado o resultado do leilão de privatização dos primeiros terminais: Guarulhos, Campinas e Brasília. Juntas, as três concessões vão render ao governo federal R$ 24,535 bilhões. O dinheiro, pago em parcelas anuais durante o período de concessão, será usado em melhorias no setor.

Com proposta de R$ 16,213 bilhões, a Invepar venceu a disputa pela concessão do aeroporto de Guarulhos. No caso do aeroporto de Brasília, a Engevix saiu vencedora, com lance de R$ 4,501 bilhões. O consórcio Inframérica Aeroportos, formado com a argentina Corporación América, também venceu o leilão de São Gonçalo do Amarante (RN), o primeiro a ser privatizado. Já na disputa pelo aeroporto de Campinas, o consórcio liderado pela Triunfo Participações venceu com uma proposta de R$ 3,821 bilhões.

De acordo com o cronograma, esta semana termina o prazo dado aos novos concessionários para enviar à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) os documentos pendentes (acordo de acionistas, estatuto da nova empresa e formação de duas Sociedades de Propósito Específico - SPEs, uma do consórcio e outra com a Infraero como sócia), concluindo a primeira etapa do processo da concessão.




Fonte: DIÁRIO DO COMÉRCIO. MARA BIANCHETTI.
Animatto Webcom