Endereço

Rua Pernambuco, 1002 - Sala 601
Savassi | CEP 30130-151
Belo Horizonte, MG
Tel.: 3261 8282 - 3262-4130/0876
sdamg@sdamg.com.br


Clique aqui para acessar a Intranet

Notícias

voltar        

Governo aposta em alta de 3% a 4% em 2013.




Brasília - A expectativa do governo para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2013 é de 3% a 4%, de acordo com o ministro da Fazenda, Guido Mantega. Segundo ele, "são boas" as projeções de mercado para expansão dos investimentos (6% a 8%) e para o crescimento da indústria (3% a 4%).

"À medida que o ano vai correndo, poderemos confirmar taxas melhores ou não. Posso adiantar que o primeiro trimestre de 2013 está sendo bom. O crescimento do último trimestre de 2012 está continuando no começo deste ano", afirmou Mantega sobre o resultado do PIB do ano passado, que cresceu 0,9%.

Para ele, a política anticíclica do governo vai continuar enquanto houver necessidade de impulsionar a economia. "As medidas tomadas já são suficientes. Mas vamos continuar reduzindo tributos todos os anos, para reduzir carga tributária do país e tornar investimentos e consumo mais baratos." Apesar da meta do superávit primário para 2013 ser nominal - de R$ 155,9 bilhões, Mantega garantiu que a meta de 3,1% do PIB será perseguida.

Para ele, é natural ocorrer, em momentos de crise, um desempenho mais fraco da economia. "O mais importante é que a crise foi externa, não interna. Desta vez, a crise foi produzida lá fora e tivemos resposta muito boa à crise, mas é inevitável que a economia desacelere".

Segundo Mantega, 2003, por exemplo, foi um ano de transição e o crescimento também foi fraco. Por isso, diz, é preciso contabilizar anos em que o país teve crescimento mais forte, como em 2007 e 2008. "O Brasil passou a experimentar taxas de crescimento que não tinha há muito tempo, taxas acima de 4%." O ministro acredita que as condições agora "estão dadas" para um crescimento de 4%.

De acordo com ele, a confiança na indústria está aumentando no Brasil, depois de uma grande tensão em 2012. Mantega disse ainda que o Brasil foi afetado por mercados importadores que pararam de comprar do país, como os europeus. "O cenário agora é mais benigno para todo mundo e devemos ter aumento de investimento."

Mantega ressaltou que as concessões em infraestrutura são uma grande oportunidade para investidores estrangeiros melhorarem sua rentabilidade. Isso porque os investimentos no exterior, com exceção da China, estão rendendo muito pouco.



Fonte: (AE) DIÁRIO DO COMÉRCIO.
Animatto Webcom