Endereço

Rua Pernambuco, 1002 - Sala 601
Savassi | CEP 30130-151
Belo Horizonte, MG
Tel.: 3261 8282 - 3262-4130/0876
sdamg@sdamg.com.br


Clique aqui para acessar a Intranet

Notícias

voltar        

Porto seco: movimento no trimestre cresceu 6,7%




Empresas voltaram a importar.


A retomada da demanda interna por parte das empresas em março fez com que as importações por meio dos portos secos instalados no Estado aumentassem 6,7%, entre janeiro e março, na comparação com o mesmo período de 2008, conforme a Receita Federal do Brasil (RFB).


Nos três primeiros meses, a movimentação foi de US$ 1,094 bilhão, ante os cerca de US$ 1,024 bilhão registrado em igual intervalo de 2008. Na mesma comparação, o número de declarações de importação caiu de 15,470 mil para 12,369 mil, queda de 20%.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Despachantes Aduaneiros de Minas Gerais (SDAMG), Frederico Pace Drumond, depois de um período de estagnação, em função da crise, o ritmo de importações voltou a ganhar regularidade. "A redução dos estoques e a retomada de alguns setores da indústria, como o automotivo, trouxeram de volta a movimentação", avaliou.

Em Minas existem cinco portos secos, responsáveis por cerca de 90% da movimentação dos desembarques feitos no Estado. São eles: Juiz de Fora (Zona da Mata), Varginha (Sul de Minas), Betim (Região Metropolitana de Belo Horizonte - RMBH), Uberaba e Uberlândia (ambos no Triângulo mineiro). Além destes, há também movimentação alfandegária no Aeroporto Internacional Tancredo Neves (AITN), em Confins, na RMBH.

O terminal de Uberlândia foi o que apresentou maior crescimento nas importações no período, registrando expansão de 85,97%, passando de US$ 37,040 milhões, nos primeiros três meses de 2008, para US$ 68,883 milhões no mesmo intervalo deste ano.

Na mesma base de comparação, o porto seco de Uberaba também apresentou crescimento bem superior à média, ampliando os desembarques de US$ 49,234 milhões para US$ 65,922 milhões, ampliação de 33,9%.

A movimentação alfandegária no aeroporto de Confins registrou crescimento de 13% nas importações do primeiro trimestre ante o mesmo intervalo do ano passado, subindo de US$ 395,485 milhões para US$ 447,213 milhões.

O porto seco de Betim, que é administrado pela Usifast Logística Industrial S/A, do grupo Usiminas, também apresentou crescimento, ampliando as importações de US$ 395,485 milhões para US$ 447,213 milhões, alta de 4,6%.

Exportações - Em relação às exportações, no acumulado até março, em comparação com o mesmo intervalo do ano passado, houve crescimento de 27,8% sobre o volume das mercadorias que saíram dos portos secos em Minas.

No primeiro trimestre, o valor das exportações a partir das aduanas no Estado foi de US$ 128,230 milhões, ante os US$ 100,303 milhões registrados no mesmo intervalo de 2008. Conforme a RBF, o número de declarações de despacho de exportação apresentou retração de 0,67%, caindo de 1,783 mil para 1,795 mil.

Drumond explicou que, apesar da ampliação das vendas externas, os exportadores mineiros não usam muito os portos secos, que respondem por cerca de 10% do total, para o embarque de mercadorias, pois preferem utilizar os portos diretos - do Rio de Janeiro, Santos e Vitória.


 




Fonte: Diário do Comércio
Animatto Webcom